terça-feira, 21 de março de 2017

Membros do IHGM fazem palestras no 24 BIL






São Luís - O presidente do IHGM, professor Euges Lima e o sócio efetivo, Antônio Noberto, ministraram ontem pela manha(20), palestras no 24 Batalhão de Infantaria Leve do Exercito(24BIL) à convite do Comandante Marcus Vinicius que assumiu em janeiro o comando daquele batalhão. As palestras tiveram como temas, a França Equinocial e a historia do 24 BIL, desde o 5 Batalhão de Infantaria ate o 24 BIL. As palestras deram início a um projeto do 24 BIL com o objetivo de resgatar e informar a historia do Batalhão e do Maranhão para os membros da corporação, muitos originários de outros estados. Registrou-se também a presença da sócia do IHGM, Dilercy Adler.





sábado, 11 de março de 2017

Arno Wehling é eleito para ABL



O historiador Arno Wehling foi eleito, na tarde dessa quinta-feira (9), para suceder Ferreira Gullar na ABL (Academia Brasileira de Letras). Ele derrotou o poeta Antonio Cicero, por 18 votos a 15. Wehling vai ocupar a cadeira 37, que tem como patrono o escritor Tomás Antônio Gonzaga. A vaga estava aberta desde dezembro do ano passado, com a morte de Gullar.

 Autor de livros como "Os Níveis da Objetividade Histórica" (1974) e “Formação do Brasil Colonial”, o novo imortal é presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), fundado em 1838 por Dom Pedro II, é também sócio correspondente do IHGM.

Natural do Rio, Arno Wehling tem 70 anos e é formado em História pela antiga Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil e em Direito pela Universidade Santa Úrsula. É ainda Doutor em História pela Universidade de São Paulo, e tem pós-doutorado na Universidade do Porto, em Portugal. Especializado em teoria e metodologia da História, história do Brasil Colônia e história do Direito brasileiro, tem mais de dez livros publicados.  As áreas de atuação de Wehling são a epistemologia da história, a história das ideias políticas e jurídicas, bem como a do direito. O novo membro da Casa de Machado de Assis é também professor emérito da Unirio. No exterior, ele é membro da Academia de Ciências de Lisboa.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Códices de Alcântara são restaurados e digitalizados





São Luís - O presidente do IHGM, professor Euges Lima, recebeu hoje(9), pela manhã, das mãos da Diretora do Arquivo Publico do Estado do Maranhão(Apem), a historiadora  Helena Espínola, três livros da antiga Câmara de Alcântara, datados dos séculos XVIII e XIX, completamente restaurados, encadernados e digitalizados.

Esse trabalho de recuperação e restauração desses documentos, faz parte de um projeto do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão(IHGM) em parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação(Secti) que teve inicio em 2016, depois da assinatura  de um convênio Técnico-Cientifico firmado entre as duas instituições.

“Há três anos, estávamos lutando para atingir esse objetivo, mas esbarrávamos nos custos financeiros para tal. Finalmente, ano passado, através de uma parceria com a Secti e graças a sensibilidade e compromisso com a preservação da história do Maranhão do seu titular, o historiador Jhonatan Almada, isso foi possível”, destacou Euges Lima.

Os livros estavam bastante danificados e precisavam de restauração. Desde 2014, quando o professor Euges Lima assumiu a presidência do IHGM que a meta e o compromisso foram assumidos pela gestão.

Desde os anos de 1930 que os livros estão sob a guarda do IHGM, quando foram doados pelo então secretário da instituição, o historiador Antônio Lopes, que os achou em 1923 e utilizou-os como fonte para escrever o livro “Alcântara: subsídios para a história da cidade”, 1957.

Os códices são formados por três livros do Senado da Câmara da Vila de Santo Antônio de Alcântara. O mais antigo tem seu termo de abertura datado de 1774 e vai até 1814, contendo 159 folhas, trata do “Livro das Obrigações”; o segundo é o “Termo de Vereação”, de 1786 a 1792, contendo 196 folhas; o terceiro e último é o “Livro dos coletores do diferentes impostos” de 1838 a 1872, contendo 145 folhas. No próximo dia 29, às 17h no IHGM, será feita a entrega oficial desses códices, onde estarão presentes, o Secretário da Secti, Jonathan Almada, a Diretora do Apem, Helena Espínola, representante da Fundação Sousândrade e demais convidados.


sexta-feira, 3 de março de 2017

Morre em Imperatriz o jornalista e pesquisador Adalberto Franklin

Texto de EDMILSON  SANCHES


Adalberto Franklin faleceu às 22h40 de quinta-feira, 02/03/2017, na UTI do Hospital da Unimed, em Imperatriz (MA). Ele lutou durante três semanas contra um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico, sofreu pneumonia e tinha diabetes, além de ter resistido a delicada cirurgia cardíaca em São Luís (MA). Até quarta-feira notícias davam conta de que Adalberto estava se recuperando. Lamentavelmente, as horas posteriores não confirmaram o quadro positivo, assim falecendo o grande jornalista, editor e escritor imperatrizense.

Adalberto Franklin nasceu em 28 de abril de 1962, em Uruçuí (PI). Daqui a 57 dias, portanto, completaria 55 anos de idade, 45 deles vividos em e por Imperatriz. Destaca-se como o mais competente e consistente pesquisador da história imperatrizense e regional, para qual dedicava grande parte de seu tempo, talento, esforço, saúde e outros recursos. Publicou diversos livros, nas áreas de História, Economia, Religião, Metodologia. Editou mais de 1.000 livros de autores imperatrizenses, regionais, estaduais e nacionais. Deixa vários livros em fase de conclusão, pesquisa, projeto e reedições.

No serviço público, foi presidente da Fundação Cultural de Imperatriz, secretário municipal (Desenvolvimento Econômico e Gestão Pública) de Imperatriz e secretário de Comunicação Social da Prefeitura de Açailândia (MA). Desempenhou intensa e reconhecida atividade em movimentos da Igreja Católica de Imperatriz. Candidatou-se a prefeito em 2012.

O corpo do jornalista Adalberto Franklin chegou ao endereço da família às 3 horas da madrugada desta sexta-feira, 03/03/2017. Estive presente das 2h às 4h. Familiares confirmam que o velório continuará no endereço da Família Pereira de Castro, na Rua João Pessoa, nº 1000, bairro Bacuri. Trata-se de área de um quarteirão, onde diversos membros da Família têm residências, com ampla área livre, bem arborizada, altas mangueiras e outras plantas.

Durante toda esta sexta-feira a Família Pereira de Castro receberá as condolências dos amigos, conhecidos, colegas, autores publicados por Adalberto Franklin... Familiares estão sendo esperados de diversos pontos do país, inclusive São Paulo.

Às 9h da manhã de sábado, dia 04, o féretro sairá para o Cemitério Campo da Saudade, na Avenida Newton Bello, bairro Santa Inês, onde Adalberto será enterrado próximo do pai, Sr. Martinho Castro. O Sr. Martinho e Dª Iracema, pais de Adalberto, tiveram outros treze filhos.

“Uma grande perda para cultura, história e pesquisa maranhense, em particular de Imperatriz e região, porém Adalberto Franklin, deixa um legado importante no que tange a (re)construção da história imperatrizense, além de outras áreas em que atuou. Nossas condolências a família e amigos, destacou o professor Euges Lima, presidente do IHGM.”